Síndromes Genéticas & Distúrbios Hormonais

Algumas Síndromes Genéticas podem ser acompanhadas de alterações hormonais, distúrbios do crescimento e puberdade. Em alguns casos, é possível o tratamento, e em outros não. (Alguns links interessantes no final desta página).

Veja abaixo características das síndromes mais comuns que cursam com problemas de crescimento, tireóide, obesidade e puberdade.

BAIXA ESTATURA (Criança” Pequena”)

Com anormalidades no Cromossomo (CARIÓTIPO alterado):

1) Síndrome de Down (trissomia do 21):

  • Altura média do homem (157cm) e da mulher (146cm). 
  • Essas crianças também têm risco maior de desenvolver tireoidite e HIPOTIREOIDISMO (falha na produção do hormônio da tireóide);

2) Síndrome de Turner (46, XO- meninas com um cromossomo X ausente ou anormal):

  • Altura média = 146cm.*
  • Na maioria das vezes têm atraso e falha no desenvolvimento da puberdade e precisam de reposição hormonal.
  • Deve receber tratamento com GH para melhorar o crescimento. 

Sem anormalidades no Cromossomo ( CARIÓTIPO normal):  algumas tem alterações conhecidas em determinados genes; outras, não.
O diagnóstico é essencialmente clínico.

1) Síndrome de Silver-Russel:  apresentam fenótipos (característica) variadas, do leve ao clássico.

Caracteriza-se por fácies típica (rosto pequeno, triangular, com fronte larga), voz fina, baixo peso ao nascer (crescimento intra-uterino retardado), falha no crescimento pós-natal, clinodactilia do 5º dedo, hemiassimetria facial e/ou corporal.

Pode apresentar episódios de hipoglicemia, especialmente nos dois primeiros anos de vida. O diagnóstico é essencialmente clínico. Ainda não tem diagnóstico laboratorial ou genético definido para todos os casos.

  • A velocidade de crescimento é normal sendo que a altura média dos adultos
    homens é de 151 cm e das mulheres adultas é de 140 cm.

    • O tratamento pode incluir terapia com GH e suporte nas áreas em que a criança apresenta dificuldades, como fisioterapia, fonoterapia, terapia ocupacional e um plano de educação individualizado.
    • Também têm maior risco de desenvolver puberdade precoce.


2)  Síndrome de Noonan (semelhante a sindrome de Turner, porém com cariótipo normal). Afeta homens e mulheres. Alem de baixa estatura, os meninos pode ter criptorquidia (testículos fora da bolsa); e as meninas, irregularidade menstrual.

3) Síndrome de Prader-Willi ( deleção no braço longo do cromossomo 15- herdado do pai):

  • apresenta baixa estatura, hipotonia e dificuldade de aprendizado.
  • Mais conhecida pela compulsão alimentar e obesidade generalizada.
  • Mãos e pés pequenos.

O tratamento com hormônio do crescimento (GH) pode melhorar a altura final e auxilia no aumento de massa muscular, ao invés de gordura, além de melhorar a função cardíaca e o tônus muscular.
4) 
Pseudo-hipoparatireoidismo (vários tipos):

  • síndrome genética em que ocorre resistência ao paratormônio (controle do metabolismo do cálcio), podendo ter hipocalcemia ou não.
  • Apresenta fácies típica arredondada, 4o. e 5o. dedos das mãos e pés curtos e baixa estatura.

5) MUCOPOLISSACARIDOSES (erro inato no metabolismo dos glicosaminoglicanos):

  • São vários tipos, com características semelhantes.
  • Além da baixa estatura, tem fácies grosseira que se agrava com o tempo, infecções de ouvido e respiratórias de repetição, pode ter mãos em garra.

 

DISPLASIAS OSSEAS (Criança” Pequena”)

  • 6) Acondroplasia: Displasia óssea devida a mutações no gene FGFR3 que resulta e
    m um nanismo (baixa estatura) desproporcional, com braços e pernas curtas, hiperlordose da coluna lombar. Embora a maioria dos casos seja resultantes de mutações novas, elas têm transmissão dominante, sendo passadas de pais para filhos. Altura média dos homens =131cm e das mulheres=124cm. Não há dados suficientes de que o GH ou outro tratamento ajude a melhorar a altura dos portadores de acondroplasia.7) Osteogênese Imperfeita_ “Ossos de Vidro”: Defeito na síntese do colágeno, com ossos frágeis, OLHOS COM ESCLERAS AZUIS são típicas.  Ocorrência de FRATURAS frequentes e consequente deforminades. EXISTE TRATAMENTO para diminuir os riscos de fraturas e as dores ósseas. Fale com seu endocrinologista.

ALTA ESTATURA (Criança “ALTA”)

  • Com anormalidades no Cromossomo (Cariótipo pode revelar a causa):
    1) Síndromde de Klineffelter (meninos 47, XXY e  variantes): cursa com alta estatura, pode ter criptorquidia (testículos não desceram para a bolsa) e hipogonadismo (falha na produção dos hormônios puberais). Podem precisar de tratamento de reposição hormonal durante e após a puberdade.2) Síndromde do X Frágil (mutação do gene FMR1, localizado no cromossomo Xq27.3): mais comum em meninos. Pode cursar com alta estatura e déficit de atenção.
  • Sem anormalidades no Cromossomo (Cariótipo normal):
    1) Síndrome de Sotos (Gigantismo cerebral):  A maioria dos casos são esporádicos e a ocorrência da idade paterna avançada é consistente com mutações autossómicas dominantes. Cursam com alta estatura e atraso mental. Os indivíduos portadores do síndrome de Sotos teoricamente têm um risco significativo de recorrência desta doença em seus filhos. Para os pais destas crianças, o risco de recorrência em futuros filhos é mínimo.2) Síndrome de Marfan (Mutações no gene da fibrilina-1 (FBN1): frequente história familiar, pois tem herança dominante (passa sempre de um dos pais para os filhos). Cursa com alta estatura, dedos das mãos e pés longos (aracnodactilia), hiperextensibilidade articular. Pode ter problemas do coração (coarctação da aorta) e dos olhos (luxação do cristalino). O diagnóstico molecular consiste em testes de análise de ligação e screening mutacional.3) Síndromde de Beckwith-Wiedmann* (veja abaixo- seção síndrome e obesidade).
  • OBESIDADE (Criança ‘Gorda”): as síndromes associadas com obesidade têm, em geral, mutações em um ou mais genes específicos, assim como alterações de outros sistemas, incluindo atraso em desenvolvimento neuropsicomotor ou de função cognitiva. O cariótipo costuma ser normal, e por isso precisamos pedir testes moleculares específicos de acordo com a suspeita clinica da síndrome.
  1. Síndromde de Prader-Willi (deleção no braço longo do cromossomo 15- herdado do pai):
    • mais conhecida pela compulsão alimentar e obesidade generalizada.
    • Essas crianças nascem com peso normal, e devido à hipotonia e dificuldade alimentar, apresentam baixo peso nos primeiros dois anos de vida.
    • Mãos e pés pequenos. Só após os 2 anos de vida, devido à compulsão alimentar e ingestão exagerada de alimentos, evolui com obesidade.
    • Também apresentam baixa estatura, hipotonia e dificuldade de aprendizado. O tratamento com hormônio do crescimento (GH) pode melhorar a altura final e auxilia no aumento de massa muscular, ao invés de gordura, além de melhorar a função cardíaca e o tônus muscular.
  2. Síndromde de Bardet-Biedl (SBB):
    • se caracteriza porobesidade, retinopatia pigmentada, polidactilia, retardo mental, hipogonadismo (atraso puberal) e manifestações renais.
    • Já foram identificadas mutações em varios genes.
    • A mutação mais comum é a do gene SBB1, localizado no 11q13.
    • A maioria dos casos se apresenta com um padrão de herança do tipo autossômico recessivo.
  3. Beckwith-Wiedmann (mutação no cromossomo 11p15 ): 
    • se caracteriza por crescimento exagerado do corpo (hemihipertrofia) e de órgãos internos (inclusive do pâncreas).
      • Daí pode ter crises de hipoglicemia* devido ao excesso de insulina.
    • Tende a apresentar um lado do corpo maior do que o outro (hemihipertrofia) e sulco/prega na orelha.
LINKS Interessantes sobre síndromes genéticas: