Obesidade Infantil: Porque se Importar?

Obesidade é uma DOENÇA. Ninguém escolhe ser obeso!
Existe todo um processo genético e metabólico que leva a obesidade. Porem, alguns fatores são modificáveis. A obesidade pode e deve ser controlada.

Meus pais são gordos e eu sempre fui gordinho! Pode ser MINHA GENÉTICA?

  • Sim, os GENES têm uma parcela de culpa na ocorrência da obesidade.

    • No entanto, porque temos muitos “vilões”, fica quase impossível identificar ou tratar a obesidade somente do ponto de vista genético.
    • A influência genética mais comum é  POLIGÊNICA, isto é, depende de VÁRIOS genes. O “mapa gênico da obesidade humana” continua aumentando a cada ano. Já são mais de 400 genes identificados e “relacionados” ao maior risco de obesidade.
    • Os casos de obesidade MONOgênica (devido a alterações em UM único gene) existem, mas são muito RAROS. Várias mutações envolvendo a via de sinalização da melanocortina já foram descritas e incluem mutações no gene da leptina, do receptor da leptina, da proopiomelanocortina (POMC), e do receptor da melanocortina (MC4R), principalmente.

      • Infelizmente, na maioria dos casos, não há tratamento específico.
        Apenas nos casos de deficiência da leptina,
        o tratamento com a mesma pode reverter o quadro de obesidade. 
    • Existem ainda algumas síndromes genéticas (click aqui), em que um gene pode causar obesidade além de outras alterações existentes na síndrome em questão. Para maiores detalhes, veja a seção de  síndromes genéticas (click aqui).
  • O mais importante é assumir que os genes não determinam a obesidade de uma pessoa SOZINHOS.
  • Em alguns casos, a sua GENÉTICA aumenta a sua tendencia a se tornar obeso, mas isso requer outros fatores não genéticos e EVITÁVEIS, tais como excesso de comida e pouca atividade física.  
    • É necessário que GENES E fatores ambientais (hábitos/comportamento) atuem juntos para que uma pessoa fique obesa.

Quando sei que estou OBESO?

  • Através do seu IMC ou  Índice de Massa Corporal.
    Além do peso, o IMC considera sua altura e idade.

                                         IMC =                   Peso (Kg)               = Kg/m2
                                                          Altura (m) x Altura (m)

Diferente do adulto, que já parou de crescer, não existe um valor único de IMC para dizer se a criança está ou não acima do peso.

  • É preciso olhar na curva de crescimento, onde você tem os valores de IMC de acordo com a idade e o sexo da criança.
  • SOBREPESO (acima do peso  ou “cheinho”): Se estiver + 1 desvio padrão (> p85) ACIMA DA MÉDIA da população da mesma idade e sexo.
  • OBESO (gordinho): Se estiver + 2 desvio padrão (> percentil 95) ACIMA DA MÉDIA da população da mesma idade e sexo.
  • OBESO GRAVE (muito gordo): Se estiver + 3 desvio padrão (> percentil 99) ACIMA DA MÉDIA da população da mesma idade e sexo. Seria o equivalente à obesidade mórbida no adulto.
  • ” Ninguém precisa ser magricela, mas gordura demais só traz problemas!
  • O que você está REALMENTE fazendo para mudar essa situação?
    Esperando os problemas aparecerem? Cuide-se!

VOCÊ SABIA?

  •  As doenças (síndromes genéticas, problemas hormonais e outros) são responsáveis por menos de 2% dos casos de obesidade.
  • Quando a criança chega aos 2-3 anos de idade, o número de células gordurosas já estão definidas até sua idade adulta.
    • Uma criança com excesso de peso pode ter  MAIOR NUMERO de células gordurosas do que uma criança com peso normal para a idade.
    • Por ter maior número de células gordurosas, essa criança terá maior dificuldade em se manter magro na vida adulta.
    • Não espere seu filho crescer para emagrecer. A hora de cuidar é na  infância. Quanto mais cedo, melhor o resultado para a vida toda!

Quais os riscos de ser OBESO & Porque devo me importar?

São muitos os problemas decorrentes da obesidade, inclusive na infância. 

  1. PSICOLÓGICOS: seu filho sofre com os apelidos e os preconceitos na escola. Mesmo os pequeninos (maternal e jardim) demonstram preconceito!

_Você sabe o que seu filho(a) sofre por ser gordo?

_ Sinais de alerta! Não quer ir para a escola; Isolamento; agressividade; compusão alimentar (“comer para compensar o stress”), e depressão…..O problema só piora!”

2) Problemas ORTOPÉDICOS: dores nas articulações….. dificuldade de praticar esportes!

3) Doenças RESPIRATÓRIAS: crises de tosse, cansaço fácil, crises de asma…“dá-lhe corticóide!”  E o problema só piora!

Seu filho não consegue dormir direito e ronca como um adulto?

Ele já pode ter APNÉIA DO SONO!

4) Doenças ENDÓCRINAS (risco maior se existir casos na família):  não como causa, mas consequência da obesidade.

  • Diabetes
  • Resistência Insulínica… pescoço e dobras escurecidas?? 
  • Diabetes (DM2)
  • Síndrome Metabólica,
  • Colesterol e Triglicerídeos elevados (DISLIPIDEMIAS)

5) Doenças CARDIOVASCULARES: Pressão alta, aumento do colesterol e risco de infarto ainda jovem…..

  • AUMENTO DA CINTURA (Circunferência Abdominal):A gordura abdominal significa maior acúmulo de gordura na parte dos órgaos internos, como por exemplo o “FÍGADO GORDUROSO” (esteatose hepática). 
    • Este tipo de gordura é a mais grave, pois está associada ao risco maior de doenças do coração e diabetes. Tambem pode levar a cirrose hepática.
    • O fato é que, apesar da influência genética, a obesidade é na grande maioria das vezes consequência de erros alimentares, com dietas hipercalóricas (ex. fast-food) associada ao sedentarismo (falta de atividade física).

      • As nossas crianças estão cada vez mais “preguiçosas” (só brincam em casa, e só usam os “dedinhos” – “videogames, iPhones, Tablets e computadores”).
      • Elas estão cada vez mais ansiosas (até mesmo pelo excesso de responsabilidades e deveres escolares) e compulsivas (“comem para compensar o “stress” ou “a falta do que fazer”). 
      • Enquanto isso, os pais não têm tempo ou condições de colocá-las em uma atividade esportiva e de lazer. Um grande erro acontece quando os pais tentam “compensar” os filhos e a si mesmos com saídas para “pizzarias” e “fast-food” nos finais de semana. O problema só tende a se agravar.
      • Algumas escolas não ajudam muito, pois não oferecem esportes e atividades físicas suficientes, além de só terem lanche tipo “junk/fast-food” (“comida-lixo”) em suas cantinas.
  • Qual o Futuro de Nossas Crianças? 

A estimativa atual é de  60 milhões de CRIANCAS OBESAS no mundo em 2020.

Uma geração que pode adoecer e morrer antes dos próprios pais.