Categoria: 1.1. Crescimento Normal

Crescimento Normal

“Se crescêssemos sempre com a mesma intensidade durante toda a vida, o mundo seria de gigantes!”

O período de maior crescimento da criança começa ainda na gravidez (crescimento fetal), e qualquer atraso no crescimento do feto pode resultar em um recém-nascido com baixo peso e/ou comprimento (Crescimento Intrauterino Retardado). Isto pode ser compensado nos primeiros 2-3 anos de vida (período de “catch-up” ou “recuperação”); ou pode trazer repercussão por toda a vida da criança, com alterações metabólicas e baixa estatura final.

Em geral, por volta dos 2-3 anos de idade, a maioria das crianças mudam seu canal de crescimento (para cima ou para baixo) em direção ao canal de crescimento geneticamente determinados (pais altos ou baixos). A partir de então, o crescimento ocorre gradualmente, mantendo o mesmo percentil na curva de crescimento, até o início da puberdade. Vários fatores são determinantes para o crescimento normal e adequado. Além dos hormônios, fatores genéticos,  boa alimentação e a prática de esportes ajudam a determinar a altura final de uma criança. O pediatra deve acompanhar o crescimento do seu filho desde o nascimento, até o final da adolescência ( 0- 19 anos).

O crescimento apresenta fases diferentes de acordo com a idade?

  • Sim. A criança pode crescer até 25 cm no primeiro ano de vida, seguida de uma desaceleração gradual desde o seu nascimento, com estabilização após os 3 anos de idade. A média de crescimento após essa idade é de 4-7 cm/ano. Quando o crescimento é menor que 4 cm/ano durante a infância, ou menor que 6 cm/ano na fase da puberdade, o ideal é que um especialista seja consultado. O crescimento volta a “acelerar” e atinge seu pico durante a puberdade, quando o adolescente cresce uma média de 8-10cm/ano. Este período é chamado de Estirão Puberal. “Acompanhe sempre o gráfico de crescimento do seu filho.”

O que é Gráfico ou Curva de Crescimento?

  • Toda população tem uma estatura média, que é considerada padrão (mediana), e por isso usamos os gráficos de crescimento. Antes, usávamos o gráfico de referência da população dos Estados Unidos. Recentemente, passamos a usar o gráfico da Organização Mundial de Saúde (OMS), que inclui países de 5 continentes diferentes, inclusive o Brasil.
  • Quando a criança está com altura muito abaixo da média da população ou com velocidade de crescimento insatisfatória para sua idade, o pediatra irá iniciar uma investigação para descobrir a causa. Mas atenção para um fator muito importante a ser considerado, o potencial genético de cada paciente. Sempre haverá crianças mais altas ou mais baixas em qualquer população, de acordo com o seu potencial genético. O seu filho pode ter uma baixa estatura familiar (pais baixos), e ficar na parte inferior do gráfico de crescimente, e ainda assim, ser normal.

” Sabe aquele ditado: “Filho de peixe, peixinho é”? Ele tem um fundo de verdade, mas não significa que não devemos investigar a causa da baixa estatura do seu filho.

O que é Potencial Genético? Posso ser alto mesmo se os meus pais forem baixinhos?

  • Épossível fazer uma previsão de altura final considerando a altura do pai e da mãe (veja TABELA1), pois a altura resulta da combinação de vários genes transmitidos pelos pais_ entre eles os genes que favorecem a alta ou a baixa estatura. É possível sim que os filhos fiquem maiores do que o previsto. Porém, as chances são maiores dos filhos se parecerecerem mais com os pais do que com parentes mais distantes. Entre indivíduos da mesma família, as semelhanças são a regra e as diferenças constituem exceção.

Tabela 1: Cálculo da Média de Altura dos Pais (Estatura Alvo):

 Estatura Alvo
MENINOS: [(altura do pai + altura da mãe) / 2]  + 6,5cm
MENINAS: [(altura do pai + altura da mãe)] / 2]  6,5cm
Exemplo:Cálculo da Estatura Alvo de um garoto e uma garotinha, cuja altura dos pais são: PAI= 173 cm e MÃE = 158 cm
Filho: = 172 cm
Filha:  = 159 cm

Então, porque se diz que nos dias atuais as crianças crescem mais e sempre ficam mais altas do que os pais?

  • Sim, as últimas gerações têm tido altura maior do que seus pais e avós. O motivo principal disso foram as melhores condições de saúde e alimentação ao longo dos anos. As crianças de hoje são mais bem nutridas
    e têm melhores condições de higiene, adoecem menos e praticam esportes regularmente.
  • Isso fez com que as novas gerações atingissem o seu potencial genético máximo e ficassem cada vez mais altas. Chamamos isso de “Tendência Secular”, e aconteceu no mundo inteiro.
  • No entanto, isto já está se estabilizando, pois muitas populações já têm excelentes condições de vida. Do contrário, acabaríamos uma população de gigantes!

E Porque Paramos de Crescer?  

  • O crescimento acontece por causa da Cartilagem de Crescimento, uma pequena cartilagem que se localiza no final dos ossos longos (ex. braços e pernas) e vai sendo substituída por osso à medida que crescemos. 
  • Apenas quando a cartilagem de crescimento se fecha/ ou desaparece é que paramos de crescer. Isso costuma acontecer ao final da adolescência (17-19 anos). Entretanto, pode haver variação na idade final de crescimento, em função do começo precoce ou tardio da puberdade. Daí a importância do exame de Idade Óssea que o seu pediatra sempre solicita.

Que hormônios controlam o nosso crescimento?

  • O hormônio de crescimento (GH) é um dos principais hormônios responsáveis pela altura do indivíduo e é naturalmente produzido pelo seu corpo e liberado principalmente à noite, durante o sono. O hormônio da tireóide e os hormônios sexuais (estrogênio e testosterona), liberados durante a puberdade, também são importantes para o crescimento.
  • Quando em níveis muito baixos (hipotireoidismo) ou se produzidos fora da época certa (ex. Puberdade precoce), esses hormônios podem atrapalhar o crescimento e resultar em adultos muito baixinhos. Em contrapartida, o excesso de corticóide também interfere na cartilagem de crescimento e retarda o crescimento.

O que é Estirão Puberal?

  • Durante  a puberdade, os homônios sexuais estimulam a produção do hromônio de crescimento e promovem um crescimento acelerado. O estirão ocorre no início da puberdade nas meninas, e apenas mais tarde nos meninos.

Meninos crescem mais do que meninas?

  • Sim. Os meninos começam o estirão aproximadamente 2 anos mais tarde do que as meninas, e com maior intensidade, e por isso têm mais tempo para crescer. Por isso que no início da puberdade, a menina parece maior e mais madura que o menino da mesma idade. Porém, em geral, os meninos são em média 13cm mais altos que as meninas.

Por que “paramos de crescer” após a puberdade?

  • Os hormônios da puberdade favorecem o crescimento, estimulam a liberação de hormônio de crescimento, e provoca o “estirão”.  Nesse período, crescemos até 20% da nossa altura final. No entanto, estes mesmos hormônios, em especial o ESTRADIOL (hormônio feminino) acelera o “fechamento das cartilagens de crescimento”.
  • Quando as cartilagens de crescimento estão fechadas (ou quase), há pouco crescimento adicional. Não espere seu filho começar a puberdade para se preocupar. Se for preciso fazer algum tratamento de crescimento, ele deve ser iniciado o mais cedo possível. Converse com seu pediatra e Endocrinologista Pediatra para avaliar o potencial de crescimento do seu filho adolescente.