Category Archive: 6.0. Sou Diabético! E agora?

Tenho Diabetes?! E agora?

Tenho Diabetes?! E agora?

Você não está sozinho. Cerca de um milhão de crianças brasileiras sofrem de diabetes, de acordo com a Associação de Diabetes Juvenil do Brasil. Nos Estados Unidos, aproximadamente 215.000 crianças e adolescentes têm diabetes. Isso significa 1 em cada 500 crianças e adolescentes norte-americanos (2010). Esses números estão crescendo, e se estima que até o ano de 2020, ocorra um aumento de 25% nos casos de DM tipo 1. Devido ao aumento da obesidade infantil, estima-se que o DM tipo 2 aumente até 50% entre crianças e adolescentes.

  • O Que É Diabetes?shutterstock_66507772

    • O DIABETES MELLITUS (DM) é uma doença em que o açúcar fica muito alto no sangue (hiperglicemia). É a segunda doença mais comum na infância, e o número de casos cresce a cada ano.
    • Infelizmente, o DIABETES é uma doença crônica (para toda a vida) e ainda não existe cura.O diabetes pode causar complicações sérias e com risco de morte se não for tratado.  O seu diagnóstico precoce e o tratamento adequado permitirá que você tenha uma vida normal e saudável.
  • O QUE CAUSA O DIABETES?

    O AÇÚCAR é o principal “COMBUSTÍVEL” do nosso corpo, e é utilizado pelas células graças à ação de um hormônio chamado INSULINA. A insulina é produzida pelo PÂNCREAS, um órgão pequenino que fica dentro de nossa barriga, próximo do estômago.shutterstock_115341253 cópia

  • Na falta de insulina, o açúcar não consegue entrar nas células e fica circulando no sangue. O problema é que, em altas doses, ele se torna TÓXICO e fere órgãos importantes do nosso corpo (por exemplo: os olhos, rins e nervos).
  • EXISTEM TIPOS DIFERENTES DE DIABETES?  Sim, existem 2 tipos de Diabetes Mellitus.DM (3)
    • O DM tipo 1 ( Insulino-dependente): quando o pâncreas deixa de produzir a insulina. O DM1 ocorre em 1 em cada 500 a 2000 crianças, e é o tipo de diabetes mais comum em crianças e adolescentes. Neste caso, o tratamento é sempre com insulina (injeções).
    • O DM tipo 2 ( “Diabetes de adulto?”): ocorre principalmente em adultos e obesos. No DM tipo 2 não falta insulina, mas existe uma RESISTÊNCIA a ela, isto é, a INSULINA não consegue transportar o açúcar do sangue para as células do corpo. A gordura contribui para o aumento dessa resistência, e por isso a pessoa gorda tem mais risco de desenvolver o DM tipo 2. Neste caso, o tratamento pode ser iniciado com medicamentos orais (comprimidos), mas pode vir a precisar de insulina também.
    • Outros tipos: existem tipos específicos e raros de diabetes, associados com herança genética (ex. MODY) e que pode acontecer desde o nascimento.
  • PORQUE ESTÁ AUMENTANDO CADA VEZ MAIS O NÚMERO DE CRIANÇAS COM DIABETES? 
    • A incidência (casos novos) de DM tipo 1 varia muito em regiões e países diferentes. Na Finlândia (país no norte da Europa), por exemplo, o número de diabetes tipo1 chega a ser 50 vezes mais alta que no Japão (país da Ásia).
      • Vários fatores ambientais (infeções, viroses, deficiência de Vit D) podem contribuir, mas não existe uma relação direta nem a causa exata desse aumento.
      • Existe um fator genético, que parece contribuir para a capacidade imunológica da criança. O grande marcador de predisposição ao diabetes são os antígenos do sistema HLA (uma espécia de “carteira de identidade imunológica”). Quando você herda um tipo especial de HLA, você pode ter uma predisposição aumentada ao DM1 e, em certos casos, você pode herdar um tipo de proteção e terá, menor probabilidade de desenvolver a doença.
    • Já o DM tipo 2 está aumentando devido ao aumento do erro alimentar e da obesidade infantil, que juntamente com o fator genético, explica o início cada vez mais cedo desse tipo de diabetes.Converse com o seu pediatra e reeduque a alimentação e os bons hábitos de exercício para toda a família.
  • QUAL O TIPO DE DIABETES DA CRIANÇA?  Os dois tipos!

    • Antigamente, criança com DM era quase sinônimo de DM tipo 1. Entretanto, como o aumento da obesidade, está cada vez mais comum crianças e adolescentes com diagnóstico de DM tipo 2, antes considerado DM de adulto. Essa é uma realidade ALARMANTE. Além da OBESIDADE, existem várias outras doenças associadas com o DIABETES (pressão alta, colesterol alto, etc).
  • QUANDO SUSPEITAR DE DIABETES?Sintomas DM

    • O nosso corpo é muito “inteligente” e tenta eliminar o excesso de açúcar no sangue através da urina. Por isso, um dos primeiro sinais de DIABETES é o AUMENTO DE DIURESE (“URINA DOCE”). A criança começa a fazer xixi na cama ou molha as fraldas além do habitual. Como está perdendo muito líquido pela urina. o nosso corpo tenta “compensar” BEBENDO MUITA ÁGUA.
    • Além disso, as células do corpo não conseguem receber a energia necessária na forma de açúcar, pois a insulina não está presente ou não funciona. A criança sente muita FOME e passa a comer muito, no início dos sintomas.
    • Com o tempo, a criança passa a PERDER MUITO PESO (apesar de comer normal) e sofre DESIDRATAÇÃO (perda de água na urina). EM CASOS MAIS AVANÇADOS, a criança pode ficar FRACA, com RESPIRAÇÃO ACELERADA, com HÁLITO CETÔNICO (“ADOCICADO”), podendo evoluir para o COMA, se não for tratada em tempo.
  • O QUE DEVO FAZER SE SUSPEITAR DE DIABETES?

    • Se você tiver essa suspeita, não precisa “provar” a urina da criança. Procure um posto de saúde mais próximo e peça para medir o açúcar da criança (GLICEMIA CAPILAR). shutterstock_6983869Este é um exame simples e rápido que mede o açúcar no sangue, e é feito com uma gotinha de sangue da ponta do dedo.
    • O pediatra do plantão saberá dizer se a criança tem diabetes ou não.  As crianças menores e lactentes devem ser internadas. As crianças maiores podem iniciar tratamento com insulina via ambulatorial e procurar logo o Endocrinologista Pediatra para orientação e tratamento.
  • O DIABETES NA CRIANÇA PODE ATRAPALHAR O SEU CRESCIMENTO? Sim. O tratamento do diabetes depende completamente do CONTROLE que conseguimos. Se o paciente tem uma dieta controlada e prática de atividades físicas diárias, o medicamento (insulina ou medicamento oral) resultará no controle adequado da sua taxa de açúcar. O objetivo do tratamento é deixar a criança com níveis “normais” de glicemia.
    • Quando bem controlado, a criança com diabetes cresce bem e tem uma vida absolutamente saudável. Ele pratica esportes, vai à escola, pode namorar/casar e ter filhos. Ele pode ter uma profissão como qualquer pessoa sem diabetes (médico, advogado, eletricista, empresário, engenheiro, etc).
    • Porém, um diabetes descompensado ao longo de anos pode causar outras doenças, podendo levar a cegueira, insuficiência renal, infecções sérias, dificuldade de cicatrização de feridas, entre tantas outras. Não deixe isso acontecer com você!
  • O INÍCIO DA PUBERDADE PODE ALTERAR A EVOLUÇÃO DO DIABETES?
    SIM. os hormônios da puberdade são antagonistas da insulina (isto é, “agem contra” a insulina) , e isso gera a necessidade de doses maiores de insulina para um bom controle do DM tipo 1.
  • QUE OUTROS PROBLEMAS PODEM ACONTECER NA ADOLESCÊNCIA?
    Um outro aspecto importante são as próprias alterações de vida decorrentes da adolescência, onde o jovem quer ter maior independência, não quer ficar restrito a esquemas convencionais, etc. Daí, o adolescente “rebelde” pode querer “DESAFIAR” a doença e passa a comer “errado” e “esquecer” as doses de insulina, além de não manter o controle das glicemias. INFELIZMENTE, ESSA É UMA LUTA PERDIDA! A DOENÇA “GANHA” SEMPRE, E ISTO SIGNIFICA QUE VOCÊ SAIRÁ PERDENDO SE NÃO SEGUIR AS REGRAS DO JOGO.

Os adolescentes não precisam deixar de fazer o que queiram fazer, mas,
como num jogo, devem seguir algumas regras…

  • COMO ENFRENTAR O PRECONCEITO E A DISCRIMINAÇÃO ENFRENTADO PELAS CRIANÇAS COM DIABETES? O preconceito só existe quando há FALTA DE INFORMAÇÃO.
    • O diabetes é uma doença “exclusiva” de quem a possui, não é contagiosa; e quando bem compreendida, permite à criança ter uma vida absolutamente normal. Isso já melhorou muito, mas ainda pode melhorar cada vez mais.
    • Um coleguinha da escola não precisa se assustar ao saber que seu filho tem diabetes. É importante, dependendo da idade, que os colegas saibam que o paciente é diabético para poder ajudá-lo em algumas situações especiais, como hipoglicemia (o açúcar baixa e a pessoa sente-se mal, devendo ingerir alguma bebida com açúcar), além de não “tentá-lo” com alimentos que ele não deve comer.          

O preconceito muitas vezes está na cabeça do próprio paciente que acha que os outros o VÊEM “DIFERENTE”.

Assim que o paciente aceite sua doença e aprenda a viver com ela, o preconceito deixa de existir.

  • COMO A ESCOLA PODE AJUDAR?A ESCOLA PODE E DEVE AJUDAR, promovendo conversas educativas com um profissional de saúde sobre a doença, pelo menos quando eles têm algum caso na escola.
    • Além disso, A CANTINA de todas as escolas devem oferecer LANCHES SAUDÁVEIS para TODAS AS CRIANÇAS e OPÇÕES  (DIET) PARA OS PORTADORES DE DIABETES.  (http://www.diabetesnasescolas.org.br).
  • COMO OS PAIS DEVEM SE COMPORTAR COM UM FILHO COM DIABETES? É CORRETO TRATÁ-LO DIFERENTE DOS OUTROS IRMÃOS?
    A criança e o adolescente com diabetes devem receber o mesmo tratamento de uma pessoa absolutamente normal. O paciente diabético não deve ter regalias nem punições especiais pelo fato de ser diabético.

    • Trate-o como a pessoa normal que ele (ela) é. Convide os amigos da escola para sua casa. Se houver uma festa, participe normalmente e tome os cuidados com relação aos açúcares de absorção rápida. Os amigos vão aprender como é a rotina do paciente diabético e passam a ajudá-lo a cumpri-la.
    • DIABETES NÃO É CONTAGIOSO! É POSSÍVEL VIVER NORMALMENTE, desde que haja o controle adequado da alimentação e seja feito o tratamento correto preconizado pelo médico.
  • PAIS COM DIABETES, SEJA TIPO 1 OU 2, PODEM TER FILHOS PORTADORES DE DIABETES?
    • Existe um risco maior de Pais com DM 1  terem filhos com DM1, mas não é um risco muito alto.
    • O risco é maior nas pessoas com pais ou familiares próximos (irmãos, avós) portador de DM 2.  A transmissão genética do DM tipo 2 é mais bem conhecida. Por exemplo, entre gêmeos idênticos, a taxa de concordância para DM2 é muito alta, chegando a 80%.  No entanto, esse risco é agravado principalmente pela obesidade e erro alimentar. ISSO SIM É EVITÁVEL !
    • TODOS OS PAIS, especialmente aqueles com história de DM2 na família, DEVEM oferecer ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ATIVIDADE FÍSICA regular PARA OS SEUS FILHOS.
  • EXISTE ALGUMA POSSIBILIDADE DE CURA PARA O DIABETES NO FUTURO? Existem vários estudos, mas ainda não estamos muito perto da cura. A cada dia surgem novos e melhores tratamentos (análogos de insulinas, bomba de insulina, antidiabéticos orais ou injetáveis). A CURA CHEGARÁ COM CERTEZA, é só uma questão de tempo.
    • ENQUANTO A CURA DEFINITIVA NÃO CHEGA, o segredo é garantir UM CONTROLE ADEQUADO E MAIS PRÓXIMO DO NORMAL para os seus níveis de açúcar. SEM ESSE CONTROLE, não seria possível garantir às crianças e adolescentes com diabetes boa qualidade de vida e a certeza de um futuro promissor, com direito à escolha de uma boa PROFISSÃO e APROVEITAR A VIDA como TODO MUNDO.

Para mais informações, veja as próximas seções em DM.