Arquivo por categoria: 6. Diabetes MELLITUS (DM)

DM, Doenças e Complicações

Preciso de mais insulina quando fico gripado ou tenho outra doença?

 

Posso ficar cego?

 

Que outras doenças o diabetes causa?

 

POR QUE É IMPORTANTE O CONTROLE DA GLICEMIA?

    • O que é e para que serve a HEMOGLOBINA GLICADA (HbA1C)?
      • HbA1C = Hemoglobina Glicada = Hemoglobina Glicosilada.
      • É UM MARCADOR IMPORTANTE DA ” TAXA DE AÇÚCAR” NO SANGUE nos ÚLTIMOS 2-3 MESES. Por isso seu médico solicita a HBA1C além de outros exames a cada 3 meses.
      • A HbA1c serve para indicar se o seu diabetes está sob controle nos últimos meses. Ao contrário de uma medida isolada, em horários variados, ele nos dá um PERFIL do que está acontecendo de um modo generalizado e o que está predominando, níveis ALTOS, BAIXOS ou NORMAIS de GLICEMIA.
        •  Valor Normal: 4,1-6,4%
        •  Meta no diabetes: 6,0-6,5%Winner
        • Aceitável: <7,5%. Especialmente em crianças muito jovens (< 2 anos), o cérebro ainda está em desenvolvimento e episódios repetidos e severos de hipoglicemia e convulsões podem causar danos irreversíveis ao cérebro. Por isso, em pré-escolares (< 5 anos), podemos aceitar níveis mais altos de HbA1c, pois evitar a hipoglicemia é a maior prioridade.
        • Alto (requer mudanças no tratamento): 7-9%
        • Muito Alto (inaceitável): >9%
  • POR QUE É IMPORTANTE O CONTROLE (MONITORIZAÇÃO) DA GLICEMIA? Você e o seu médico precisam saber como está o CONTROLE DO SEU DIABETES.
    • A monitorização da glicemia, aliada ao controle alimentar e à prática de atividade física são ESSENCIAIS para o BOM CONTROLE DO DIABETES, tanto nas crianças quanto nos adultos, e esses hábitos devem fazer parte da rotina de qualquer tratamento do diabético.shutterstock_6983869
    • Para isso, você deve medir a sua GLICEMIA CAPILAR (“ponta de dedo”) várias vezes ao dia.
    • O ideal é que você anote o resultado e mostre ao seu médico endocrinologista pediatra em cada consulta.
  • Quando devo medir a minha GLICEMIA?
    • A glicemia deve ser medida várias vezes ao dia, especialmente EM JEJUM (AO ACORDAR) e ANTES DAS REFEIÇÕES. Às vezes, o seu médico pode solicitar que anote a glicemia de 2horas depois das refeiçoes.
    • Além disso, sempre que achar que você (ou o seu filho) está com HIPOGLICEMIA, você deve confirmar com a glicemia capilar, se possível. Caso contrário, trate como se fosse hipoglicemia.
    • Anote no caderno a hora e o dia que isso aconteceu. Ao ver os resultados dos últimos meses durante a consulta, o seu endocrinologista entenderá melhor como está o controle da doença e se haverá necessidade de mudar a dose e o esquema de tratamento com insulina.
    • (clique aqui- modelo de controle glicêmico).
  • O que é o Fator de sensibilidade a insulina (FS)?
    • FS é o quanto 1 unidade de insulina consegue baixar o açúcar (glicemia) no sangue.
    • Para calcular o fator de sensibilidade é saber primeiro a quantidade média de insulina aplicada diariamente. Em posse dessa informação é possível usar as seguintes fórmulas:
      • Para insulina de ação rápida – use a regra de 1500 ou 1800 para o tipo de insulina que usa, rápida ou ultra-rapida.
      • É só dividir o valor absoluto 1500 (insulina Rápida) ou 1800 (análogos Ultra-rápida) pela quantidade de insulina total usada em um dia. Assim, se você utiliza 15 unidades de insulina diariamente para manter sua glicemia próxima do normal calculamos 1500/15 chegando a 100mg, ou seja, será necessária 1 unidade de insulina rápida para abaixar a glicemia em 100mg/dl.
      • Mas ATENÇÃO! É importante notar que o fator de sensibilidade VARIA PARA CADA PESSOA pois depende do metabolismo, da massa corpórea, da reação à insulina e, mesmo para um indivíduo, o fator pode variar de acordo com o horário. Assim, durante a dia o organismo de algumas pessoas pode precisar de mais insulina do que à noite, por exemplo.

  •  O que é o Fator de Correção (FC)?
    • o FC é a cálculo para saber a quantidade de insulina rápida, ou ultra rápida, necessária para corrigir a hiperglicemia.
    • Para calcular o fator de correção é necessário saber a META glicêmica e o fator de sensibilidade (FS).
      • Supondo que a meta glicemica seja 100mg/dl e o fator de sensibilidade seja de 100mg/UI e que a glicemia sanguínea esteja em 250, teremos:
        250 -100 = 150 é o quanto a glicemia precisa baixar para atingir a meta.
      • Daí, Glicemia a corrigir/ FS – 150 /100 = 1,5 unidades é a quantidade de insulina necessária para fazer baixar a glicemia até o nível da meta. Se sua caneta só aplica no mínimo 1 unidade, considere o risco de baixar demais a sua glicemia e prefira usar dose mínima e segura. Neste caso, 1unidade.
  • Quando eu sei que a glicemia está alta ou baixa? Faça a sua glicemia capilar e “reconheça” os sinais (sintomas) que o seu corpo lhe envia!

    • Glicemia NORMAL = 80-100mg/dl (em jejum)
    • A HIPOglicemia = Glicemia Baixa ( Glic <70mg/dl). Hipoglemia GRAVE (glicemia <50mg/dl).
    • A HIPERglicemia = Glicemia Alta ( sintomas aparecem especialmente > 180mg/dl, ou seja, quando ultrapassa o limiar renal de excreção de açúcarSintomas Hio Hiper
  • O que Fazer quando a glicemia está BAIXA (HIPOglicemia)? 
  • Se possível, certifique-se que a glicemia está mesmo baixa (<70mg/dl), pois a criança pode simular a crise para comer algo doce.
  • NA DÚVIDA, TRATE COMO SE FOSSE HIPOGLICEMIA! A falta ou o atraso do tratamento da hipoglicemia pode prejudicar o cérebro, levar ao coma e até à morte.
  • .Se a pessoa estar acordada e responsiva:

    • Coma algo que tenha em torno de 15 gramas de carboidratos. Por exemplo:

      • ofereça uma alimento ou bebida açucarada (suco de frutas, frutas, um pouco de mel, bombons, balas ou refrigerante não-dietético, por exemplo) ou lhe dê 1 colher de sopa cheia de açúcar diluída em um pouco de água. Isto é usado para uma recuperação mais rápida durante uma crise.

  • Aguardar 2-3 minutos e repetir a operação até melhoria dos sintomas ou se a glicemia ainda estiver baixa (menor que 70 mg/dL).
  • Não é preciso comer até passar a crise, depois de comer aproximadamente 15g de carboidrato, espere 10 a 15 minutos para fazer o exame de ponta de dedo novamente, no caso de não ter melhorado, volte a comer.  Cuidado para não comer demais. Isso pode causar níveis altos de açúcar no sangue e ganho de peso.

  • Atenção! Alimentos de alto índice glicêmico aumenta rápido a glicemia, mas também cai rapidamente depois.
  • Quando a pessoa estiver melhor, lhe dê algum alimento de baixo índice glicêmico (que contenha carboidrato, proteínas e fibras), ou seja, libere o açúcar de forma mais lenta e sustentada, especialmente se faltar mais de uma hora para a próxima refeição.
    • Por exemplo, dar um bolo, pão ou bolachas e um copo de leite ou água. Isso garantirá que a glicemia vai se manter em níveis estáveis e sem risco de nova crise de hipoglicemia.
  • Se a pessoa estuver desmaiada ou não consegue engolir
    • Aplique uma injeção de GLUCAGEM (hormônio GLUCAGON), imediatamente. Isso vai resgatar o açúcar reservado no fígado das pessoas e evita piora da hipoglicemia.O seu médico vai prescrever o medicamento e lhe explicar como usá-lo.
    • Se está grave, faça a injeção e leve a criança urgente para o Hospital mais próximo. .Não perder tempo!.
    • Se a criança acordar após o GLUCAGEM, ofereça açúcar e faça como explicado na situação anterior. Talvez não precise ir ao hospital neste caso.
  • O que Fazer quando a glicemia está ALTA (HIPERglicemia)?
  • Corrija a glicemia (FATOR DE CORREÇÃO) com INSULINA RÁPIDA de acordo com o seu fator de Sensibilidade (FS) à Insulina e a meta ideal de glicemia orientada pelo seu médico (veja explicação acima).
    • Vamos EXERCITAR:

      • Meu Fator de Sensibilidade (FS) = 1 unidade : 100mg/dl. (1 Unidade abaixa 100mg/dl da minha glicemia)
      • Meta de Glicemia entre 100-150mg/dl (glicemia ideal para antes e após refeição)
    • EXEMPLO 1:
    • Estou com sintomas de hiperglicemia e ao fazer a glicemia capilar, surpresa! Glicemia=420mg/dl. 
    • UAU!! Estou com a glicemia muito alta mesmo antes de me alimentar! PRECISO CORRIGIR ISSO!
      • Para CORRIGIR minha glicemia já elevada, precisarei de ??? unidades de insulina???
      • Se o meu FS (fator de sensibilidade) diz que 1 unidade abaixa minha glicemia em 100mg/dl e minha meta é ficar com glicemia normal entre 100-150mg/dl.
      • FATOR DE CORREÇÃO será=  420 (atual) – 100 (meta)= 320 (para corrigir com a insulina rápida).
      • Se 1 unidades baixa 100mg/dl.……. = 320 dividido por 100 = 3,2***.
      • Daí, terei de aplicar BOLUS de 3,2 unidades de insulina rápida agora. É recomendável verificar sua glicemia 1 hora depois para ter certeza de que tudo deu certo como previa. Caso contrário, pode ser preciso falar com seu médico para ajustar o seu FS.
    •  IMPORTANTE:  O Fator de Sensibilidade varia de paciente para paciente, assim como depende da hora do dia em que vai ser feita a insulina. Por exemplo, precisamos menos de insulina à noite do que durante o dia. Você e o seu médico, através da anáise de suas glicemias pré- e pós- refeições e uso de insulina saberão calcular a relação correta para você.

    • CONVERSE COM SEU MÉDICO E NUTRICIONISTA SOBRE A CONTAGEM DE CARBOIDRATOS e FATOR DE SENSIBILIDADE À INSULINA!

Alimentação em Diabetes

  •   QUAL A ALIMENTAÇÃO ADEQUADA DA CRIANÇA COM DIABETES?
    • Igual a de qualquer outra criança, mas com o cuidado de EVITAR AÇÚCAR SIMPLES (de liberação rápida e com alto índice glicêmico), evitar comer demais ou ficar muito tempo sem se alimentar.
    • Prefira alimentos sem adição de açúcar ou use adoçantes, se necessário.
    • A regra é simples, comer de forma saudável e nos horários corretos! Isso vale para todos! 
  • PORQUE COMER NA HORA CERTA É TÃO IMPORTANTE?
    • NÃO ADIANTA TOMAR INSULINA SEM TER ALIMENTAÇÃO ADEQUADA.
    • Todos os tratamentos do diabetes baseiam-se em ALIMENTAÇÃO ADEQUADA E COM HORÁRIOS CERTOS. A insulina que o paciente diabético injeta todos os dias “assume” que ele tem um horário alimentar definido. Caso a criança coma demais OU muito pouco, aquela insulina não será suficiente para controlar a glicemia OU poderá induzir uma crise de HIPOglicemia. POR EXEMPLO:
    1. Um adolescente que vá a uma “balada” e resolva não se alimentar no horário convencional e vai jantar às 3 horas da manhã, fica muito tempo sem comer, além de gastar mais energia com a dança. A insulina que ele tomou “assume” que ele tem um horário alimentar definido. Ele pode, portanto ter HIPOGLICEMIA (acúcar baixo) porque não jantou no horário adequado e gastou mais energia.
    2. Um outro exemplo é quando a criança ou o adolescente querem dormir até o meio dia, deixando de fazer seu café da manhã no horário convencional. Isto pode levar a crises graves de hipoglicemias.
    3. O contrário acontece quando ele se alimenta fora do horário convencional ou em maior quantidade. Neste caso, se comemos demais, a insulina tomada não será suficiente para o “extra” da alimentação, e o açúcar aumenta no sangue (HIPERGLICEMIA).
  • Todos esses detalhes devem ser muito bem conversados com os pacientes, para que eles entendam os mecanismos que regulam o tratamento do diabetes.

  • O que é ÍNDICE GLICÊMICO dos alimentos?
    • Índice glicêmico (IG) é a capacidade de um alimento de elevar o açúcar no sangue.
      • Alimentos com valor de IG até 55 são considerados de baixo Índice Glicêmico.
        • Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos e têm mais fibras, liberando o açúcar de forma mais lenta e contínua no sangue. Além de limparem o organismo, dão energia, ou seja, não deixam o corpo “desanimado”, além de dar uma sensação de saciedade (sem fome) por mais tempo.
      • Entre 56 a 69 de IG moderado.
      • 70 ou mais, de Alto IG.
      • Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para aumentar a glicemia rapidamente, dão fome mais rápido e ainda engorda mais. “O arroz branco, a batata e o pão francês, por exemplo, são absorvidos rapidamente pelo corpo e aumentam a taxa de glicose no sangue. Isso faz com que você fique com fome pouco tempo depois de ingeri-los”.
  • ATENÇÃO!!!  Muitos alimentos já são oferecidos com a opção de DIET = SEM AÇÚCAR. Isso não significa que o diabético pode comer tudo que quer, pois quase todos os alimentos são processados em carboidratos = açúcar no sangue. Daí o cuidado com a quantidade que come e a quantidade de INSULINA ULTRARÁPIDA a ser aplicada antes das refeições.

    Daí a importância da criança e a família aprender a fazer a CONTAGEM DE CARBOIDRATOS! Se você sabe a quantidade de carboidratos na refeições, você pode CALCULAR A DOSE DE INSULINA RÁPIDA (BOLUS) que você vai precisar para aquela refeição e, ainda assim, manter a sua glicemia dentro dos limites de normalidade.

  • O que é a CONTAGEM DE CARBOIDRATOS e PARA QUE SERVE?

    • A Contagem de Carboidratos é uma estratégia nutricional, onde contabilizamos os gramas de carboidratos consumidos nas refeições e lanches, com o objetivo de manter a glicemia dentro de limites convenientes.
    • A razão pela qual você deve APRENDER a CONTAR as gramas de carboidratos é porque os carboidratos tendem a ter maior efeito na sua glicemia.
    • Quando você entende como contar carboidratos, você tem uma maior variedade na escolha dos alimentos que compõem o seu plano alimentar. E também, pode controlar sua glicemia mais precisamente.
    • Esta estratégia  nutricional pode ser utilizada por qualquer pessoa com diabetes, sendo muito útil, até mesmo indispensável, para aquelas pessoas que utilizam como forma de tratamento a terapia com múltiplas doses de insulina ou sistema de infusão contínua de insulina, onde esta poderá ser ajustada, baseada no que a cada pessoa consome de alimentos.
    • Aprenda a contar os carboidratos (CHO) para obter A RELAÇÃO INSULINA: CARBOIDRATO. Esta relação IC (unidade:gramas) permite calcular o valor do bolus de insulina rápida necessária para evitar o aumento de sua glicemia na hora das refeições.
    • Clique aqui (manual de contagem de CHO- SBD, ICrD, Simplificado): Contagem de CHO- SBD; Contagem de CHO-ICrD.

      ATENÇÃO! A relação da quantidade (unidades) de INSULINA RÁPIDA para o total de gramas de CHO varia de paciente para paciente. Você e o seu médico, através da anáise de suas glicemias pré- e pós- refeições e uso de insulina saberão calcular a relação correta para você.

  • Como Fazer a CONTAGEM DE CARBOIDRATOS?
    • 1. Tenha a sua glicemia entre 80 e 120 antes da refeição. Se estiver mais alta, você pode precisar adicionar uma dose extra de insulina baseada no seu FATOR DE CORREÇÃO (veja exemplo abaixo e na sessão de insulinas)
    • 2. Anote tudo o que irá comer e a quantidade em medidas caseiras. Faça isso cada vez que for comer.
    • 3. Identifique os alimentos de sua escolha que contém carboidratos. USE A TABELA DO MANUAL DE CARBOIDRATOS.  Fiz uma tabela simplificada para o seu dia-a-dia, mas também incluí outras tabelas mais completas.
    • Vamos EXERCITAR:

      • Minha Relação INSULINA: CARB = 1u : 20 gramas (1unidade “cobre” 20gr de CARB)
      • Meu Fator de Sensibilidade (FS) = 1 unidade : 100mg/dl. (1 Unidade abaixa 100mg/dl da minha glicemia)
      • Meta de Glicemia entre 100-150mg/dl (glicemia ideal para antes e após refeição)
    • EXEMPLO 1:
    • Antes do almoço: glicemia=120mg/dlÓtimo, estou com glicemia normal e dentro da minha META!
    • Meu Almoço = 41 gramas de CHO (consultei a tabela da quantidade de CHO para o que eu vou comer!)
    • Precisarei de um BOLUS de 2 unidade de Insulina rápida antes do almoço para manter minha glicemia normal com estava.
    •  Porque e como cheguei a esse valor de 2 unidades ???
      • 1 unidade = 20gr….Se vou comer 40 gramas (2 x 20gr), entao preciso de 1 x 2= 2 unidades antes do almoço.
      • As 2 unidades “cobrirão” apenas o açúcar da minha refeição, pois a glicemia antes já estava normal e não preciso de dose extra.
  • EXEMPLO 2:
    • Antes do almoço: glicemia=310 mg/dl (minha meta entre 100-150).
    • UAU!! Estou com a glicemia muito alta mesmo antes de me alimentar! PRECISO CORRIGIR ISSO!
    • Para CORRIGIR minha glicemia já elevada, precisarei de 2 unidades de insulina, pois meu FS (fator de sensibilidade) diz que 1 unidade abaixa minha glicemia em 100mg/dl e minha meta é ficar com glicemia normal entre 100-150mg/dl.
    • FATOR DE CORREÇÃO será de 2 unidades para baixar 200mg/dl e ficar com glic=110mg/dl, dentro da meta.
    • Daí, terei de aplicar BOLUS de 2+2= comida + fator de correção= 4 unidades antes do almoço.  FÁCIL DE ENTENDER? Vamos exercitar até ficar fácil!
  •  IMPORTANTE:   Você poderá, esporadicamente, consumir alimentos ricos em açúcar, estando o controle do diabetes garantido com a utilização da bomba de infusão de insulina. O consumo excessivo desses alimentos acarretará ganho de peso e aumento da necessidade de insulina, que poderá ser prejudicial à sua saúde. Portanto, seja moderado! 

  • CONVERSE COM SEU MÉDICO E NUTRICIONISTA SOBRE A CONTAGEM DE CARBOIDRATOS e FATOR DE SENSIBILIDADE À INSULINA!

 

Tudo sobre INSULINA

  • Existem 2 TIPOS Principais de INSULINA?  Sim.  Existem dois tipos principais de insulinas de origem humana. Elas são classificadas de acordo com a duração de sua ação e são oferecidas gratuitamente pelo SUS.N R
  • 1- Insulina de AÇÃO LENTA/ PROLONGADA (NPH ou “N”): Quem tem DM tipo 1 DEVE sempre aplicar ESSA INSULINA, chamada BASAL, a fim de que nunca lhe falte insulina caso precise.  Ela tem  objetivo de se manter “estável” no seu sangue por TODO O DIA.
    • Atenção, a insulina NPH tem COR BRANCA LEITOSA!
      • Ela tem ação lenta e dura aproximadamente 8-12 horas no seu corpo. Por isso você precisa tomar pelo menos 2 doses dessa insulina por dia. Às vezes, pode ser preciso 3 ou mais doses. Infelizmente, ela é liberada de forma um pouco irregular, tendo momentos mais altos e outros mais baixos no seu corpo.
        • Insulina Humana NPH 100 UI/ml – suspensão injetável (frasco-ampola 10 ml, 5ml e 3ml)
  • 2- Insulina de AÇÃO Rápida (Regular ou “R”):  tem ação curta, entre 4-6 horas, e deve ser aplicada pelo menos meia hora antes da refeição. Atenção, a insulina REGULAR é TRANSPARENTE!EFEITO DA INSULINA BASAL-BOLUS
    • Ela tem o objetivo de “queimar” o “açúcar” extra proveniente das refeições, e evitam que a glicemia aumente muito após a refeição.
    • Também servem para ser usada quando sua glicemia está muito alta, mesmo em outros horários não relacionados com as refeições.
    • Cuidado, pois seu efeito pode ir além do período após-refeição, com risco de hipoglicemia tardia.
      • Insulina Humana Regular 100 UI/ml, solução injetável (frasco- ampola 10 ml, 5 ml e 3ml)
  • E as insulinas MODERNAS são DIFERENTES da Insulina Humana?  Sim. As insulinas SINTÉTICAS, ou ANÁLOGOS da insulina, são insulinas modificadas por engenharia genética e oferecem ação mais estável e com melhor controle da glicemia.
  • Os análogos de insulina ainda não são oferecidas pelo SUS, com exceção de alguns Estados e Prefeituras, os quais contém protocolos especiais para a entrega desse tipo de insulina. 

    ATENÇÃO!!! OS ANÁLOGOS DE INSULINAS, quer sejam LENTA OU RÁPIDA, são sempre TRANSPARENTES!!

    1. Análogos de AÇÃO ULTRALENTA: Glargina (Lantus), Detemir (Levemir) e Degludec. Este tipo de insulina dura mais tempo, até 24 horas, ou seja o dia todo. Por isso você só precisa de apenas uma e, às vezes, duas doses por dia.Tipos de Insulina e Analogos
      1. elas também têm a vantagem de ser liberada de forma uniforme, sem altos e baixos, e resulta em melhor controle de glicemia no sangue.
    2. Análogos de AÇÃO ULTRARÁPIDA: Gluilisina (Aprida), Aspart (Novorapid) e Lispro (Humalog)
      1. Os análogos de ação ultrarápida têm ação mais imediata, podendo ser aplicada 10 minutinhos ou imediatamente antes das refeições. Seu efeito também é mais rápido, de aproximadamente 2 horas, evitando efeitos tardios.
  • COMO APLICAR INSULINA?
    • Sempre aplicar no tecido celular subcutâneo (“gordura” abaixo da pele).
    • Se muito profunda, pode penetrar no músculo e ir mais rapidamente para o sangue. Além de doer mais!Insulina Tecnica
    • Atenção para os locais de aplicação!!! ABDOMEN, COXAS, BUMBUM e BRAÇOS.
    • O método mais seguro, especialmente em crianças magras:Tamanho da Agulha
      • Usar agulha curta de 4-6mm. Agulhas de 8mm para alguns adolescentes mais gordinhos pode ser adequado.
      • Agulhas menores podem ser aplicada perpendicularmente (ângulo de 90graus), sem risco de penetrar no músculo.
      • Para agulhas maiores, é mais seguro se você fizer uma “prega” da pele com 2 dedos e injetar a insulina em um ângulo de 45graus.tecnica bumbumtecnica coxa
      1. Ejete uma pequena quantidade de insulina (0,5-1 unidades) com uma caneta ou seringa NO AR, para garantir que a ponta da agulha está preenchida com insulina.
      2. Levante a pele com seu polegar e indicador (‘prega“)tecnica Barriga
      3. Penetre a agulha na pele em um ângulo de 45 graus em relação à superfície
      4. Mantenha a “prega” da pele enquanto aplica a insulina
      5. Conte até 10 lentamente antes de soltá-la. Retire a agulha
      6. Se estiver tendo problemas de saída de gotinhas de insulina de volta no furo da pele, você pode estar muito superficial e considere usar uma agulha mais profunda.
  • POSSO APLICAR INSULINA COM CANETA? Sim, a insulina pode ser comprada em refis para CANETAS…shutterstock_105961229
    • Elas permitem uma dose mais acurada, especialmente para doses baixas. Algumas canetas permitem aplicar apenas 0,5 unidade, mas em geral é de 1 unidade de intervalo.
    • As agulhas das canetas também não devem ser reutilizadas, pois são muito finas e delicadas. Elas têm a vantagem de poder ser menores e mais finas, com tamanhos de 4mm, 5mm, 6mm, 8mm, 10mm e 12mm. Infelizmente, para seringas comuns, só existem agulhas a partir de 8mm, o que é muito longa para a maioria das crianças.
  • O QUE É BOMBA DE INSULINA?
  • As bombas de infusão de insulina são equipamentos pequenos e portáteis que liberam insulina de ação rápida 24 horas por dia.
  • Do tamanho aproximado de um pequeno telefone celular, as bombas de infusão de insulina liberam insulina através de um pequeno tubo e uma cânula (conhecidos como o conjunto de infusão) colocados sob a sua pele.Insulinas (1) A quantidade de insulina liberada pode ser adaptada para satisfazer suas necessidades individuais.
  • Você pode programar sua bomba de infusão de insulina para liberar insulina automaticamente durante 24 horas – isso é chamado de índice basal – para controlar a glicose no sangue entre refeições e enquanto você dorme. Antes das refeições você deve liberar uma dose extra de insulina chamada de bolus, correspondente à quantidade de carboidrato a ser ingerida.
  • Quando você usa uma bomba de infusão de insulina, você ainda precisa monitorar seus níveis de glicose durante o dia utilizando um glicosímetro.
  • Você configurará as doses da sua insulina e fará ajustes a elas baseado em sua ingestão de alimentos e programa de exercícios. Você terá que substituir seu conjunto de infusão a cada 2 a 3 dias. Os resultados da glicemia capilar serão úteis para que você possa ajustar as doses de insulina, consumo de alimentos e programa de exercícios.
  • Onde e Como devo guardar a minha INSULINA?
  • As insulinas em uso, podem ser mantidas na geladeira (entre 2 e 8ºC), ou em temperatura ambiente (até 30ºC), em local fresco, ao abrigo da luz e de oscilações bruscas de temperatura.Armazenamento Insulinas
    • ATENÇÃO! Em nosso Estado (Piauí), a temperatura costuma estar acima de 30C, e diminuir a eficácia da insulina. Neste caso, recomendo que mantenha sua insulina (frasco ou caneta) na geladeira ou em lugar sabidamente com temperatura abaixo de 30C.
    • Quando mantida em geladeira, a insulina deve ser retirada com 20 minutos de antecedência da aplicação, para evitar desconforto e irritação no local.
  • O local mais adequado para armazenar a insulina, na geladeira, é a prateleira próxima à gaveta de legumes
    • Nunca coloque a insulina nas prateleiras e gavetas próximas ao freezer, pois temperaturas inferiores a 2º C levam ao congelamento e perda de efeito da insulina.
    • A porta da geladeira também não é indicada para seu armazenamento, já que, as frequentes aberturas de porta causam grande mobilidade no frasco e variação da temperatura da insulina, podendo danificá-la.
  • Manter a insulina longe da luz direta do sol. 
  • Não armazenar a insulina perto de micro-ondas, saídas de calor, fogões e ar condicionado. 
  • As insulinas lacradas (aquelas que ainda não estão em uso), necessitam ser armazenadas em geladeira (temperatura entre 2 e 8ºC) e a data de validade a ser considerada, é a que está impressa na embalagem.TEMPERATURA Insulina
  • E se eu for viajar ?
    • Se a viagem durar menos de seis horas e a insulina não for exposta a grandes variações de temperatura, poderá ser transportada em temperatura ambiente.

    • Em viagens com um período maior, precisará ser transportada em bolsa térmica com gelo. Mas ATENÇÃO: o gelo não pode encostar diretamente no frasco, sob o risco de congelar a insulina.

    • Não deixar a insulina dentro do carro fechado, durante meses muito quentes ou muito frios. 

    • Se o paciente pretende passar um período extenso ao ar livre, em dias muito frios ou quentes, deve armazenar a insulina em um isopor com placas de gelo ou bolsa térmica.

    • No avião, a insulina deve ir junto com as bolsas de mão, nunca com a bagagem normal, pois o compartimento de cargas não apresenta o mesmo controle de temperatura que a cabine.

    • E para o trabalho? Se o paciente utiliza apenas uma única insulina, ele poderá montar a seringa pela manhã e aplicar no horário do almoço, se esse período não ultrapassar seis horas fora da geladeira. Caso o paciente misture dois tipos de insulina, como NPH e regular, ele deverá transportar os frascos. É importante não expor a seringa com insulina a variações de temperatura, e transportar em um recipiente que evite que o êmbolo da seringa seja pressionado, como um estojo de óculos por exemplo.

    • A presença de grumos, cristais ou agregados indica que a insulina está inadequada para consumo ou desnaturada. Isso ocorre quando ela é manipulada inadequadamente (por exemplo, muito sacudida) ou guardada em temperaturas impróprias. Descarte-a.
  • DICAS ÚTEIS:
  • Se você utilizar dispositivo em forma de caneta para aplicação ou agulhas menores (5mm), não precisa fazer a prega cutânea.
  • É importante fazer rodízio dos locais de aplicação para evitar problemas na pele.
  • O relaxamento muscular e a tranqüilidade na hora da aplicação ajudam muito a minimizar o desconforto;
  • Nunca use seringa ou agulha utilizada por outra pessoa;
  • Não reutilizar seringas e agulhas;
  • O uso de insulina gelada (aquela que é mantida na geladeira) pode causar um desconforto no momento da aplicação. Para evitá-lo, coloque a insulina na seringa e aqueça-a entre as mãos com suaves movimentos rotativos. Mas não sacuda a insulina!
  • A absorção adequada da insulina depende do local da aplicação. Ela é absorvida mais rapidamente quando aplicada no abdome, nas coxas e nádegas (nesta ordem).
  • Quando aplicada nos braços, sua absorção é mais lenta.
  • A temperatura do corpo, a dieta, o exercício e o nível de estresse podem afetar a absorção da insulina. Por isso, fique atento ao controle da sua glicemia.
  • Para jogar agulhas e seringas fora, tome o cuidado de encapar a agulha antes. De preferência, coloque este material em uma caixa rígida (papelão ou plástico mais grosso) para evitar acidentes.

DM Tipo 1

Torne-se um EXPERT em seu diabetes…
Para isso, você deve aprender tudo sobre sua doença e como se tratar.
……
conheça seus sintomas, saiba porque e como deve se tratar!
Se você quer algo bem feito, faça você mesmo!”
Só assim terá uma vida normal, longa e feliz!.

  • DM TIPO 1? VOU PRECISAR USAR INSULINA?  Sim,  o DM tipo 1 acontece quando o pâncreas produz quantidade insuficiente de insulina para controlar o açúcar no sangue (glicemia). A tendência natural é que ele não produza nada de insulina, de modo que o tratamento do DM1 consiste em REPOR INSULINA AO LONGO DO DIA, a fim de manter os níveis de GLICEMIA NORMAL.
    • Antes de ter diabetes, seu pâncreas (“máquina de produzir insulina”) funcionava automaticamente, de acordo com o que você comia, se exercitava e em momentos de stress.
    • Agora, após o diabetes, você precisa “ouvir os sinais do seu corpo” e dar a insulina para você mesmo de acordo com a necessidade.
  • COMO VOCÊ FICA DOENTE DE DIABETES TIPO 1?
    • DM1 é uma doença AUTOIMUNE. Por razões desconhecidas, o nosso corpo começa a PRODUZIR ANTICORPOS CONTRA O NOSSO PRÓPRIO PÂNCREAS (células beta), levando à sua destruição e parada de produção de insulina.DM1 autoimune
      • O processo autoimune é um “engano” do nosso corpo... ele ataca as suas próprias células porque pensa que elas são “estranhos ou invasores”…… e pode acontecer em outras doenças (ex. tireoidite de hashimoto e lupus).
  • PORQUE ACONTECE? 
    • Não existe uma causa 100% conhecida. Alguns estudos sugerem que haja um ativador diabetogênico e/ou exposição a um antígeno diabetogênico. Pode ser devido a fatores ambientais (alguns países diferentes têm mais casos de DM1), exposição a alguns vírus (Ex. rubéola e coxsackie) e até algumas drogas (ex. alguns venenos de rato) podem “induzir” a produção de anticorpos contra as células beta do pâncreas. Porém, não há confirmação exata da ação desses “estímulos”.
  • QUAL O OBJETIVO DO TRATAMENTO COM INSULINA?
    Como foi dito, SE O SEU PÂNCREAS NÃO PRODUZ INSULINA, PRECISA RECEBÊ-LA DE OUTRA FORMA. Isso é feito através de uma ou várias “injecções” de insulina por dia,  a fim de “manter normal” o açúcar no seu sangue (glicemia).
  • Tem de ser INJEÇÃO?  Infelizmente, a única forma de tratamento eficaz com insulina é por injeção. Foram tentadas outras formas (via inalatória/spray ou oral/comprimido), mas não conseguimos ainda um bom resultado. O estudos continuam….
  • EXISTEM TIPOS DIFERENTES DE INSULINA? (clique aqui >> Tudo sobre Insulinas)Pilares do DM
  • COMO TER SUCESSO NO TRATAMENTO DO DIABETES?  Embora não haja cura definitiva ainda, o bom controle dos níveis de glicemia próximo do normal garante ao portador de diabetes uma vida longa e saudável, sem as complicações da doença.
    • Para isso, você precisa garantir os 4 PILARES DO TRATAMENTO do diabetes:
      1. Alimentação Saudável, com horários regulares e sem açúcar;
      2. Uso regular de Insulina conforme orientado pelo seu médico Endocrinologista;
      3. Controle (automonitorização) da Glicemia diariamente (várias vezes ao dia);
      4. Exercício físico regularmente (3-4 x por semana).
  • QUE OUTROS CUIDADOS OS PAIS DE PACIENTES DIABÉTICOS DEVEM TER?
    1. De forma natural e sempre envolvendo a criança nas tomadas de decisões, o controle da glicemia capilar deve ser incorporadas na rotina da criança. Aos poucos, a criança percebe a importância do controle da glicemia e passa a entende a real utilidade no controle da sua doença.
    2. Além disso, os pais devem sempre ficar atentos em manter uma frequência nas consultas médicas (cada 3 meses) para saber se a criança está com uma velocidade adequada de aumento de peso e altura e também para ajustes na dose de insulina, que varia de acordo com as fases do desenvolvimento. Por exemplo, na adolescência, o aumento das doses de insulina pode chegar até 50%, e isso precisa ser monitorado de perto.
    3. Também é de fundamental importância o acompanhamento psicológico da criança e da família, e deve ser feito desde o princípio. Existe o processo inicial de negação, seguido da contemplação e a aceitação da doença, que podem voltar a ser questionadas.
    4. Além disso, os pais devem evitar a superproteção e a discriminação. A criança com diabetes deve ser tratada como qualquer outra criança, com direito a ir para a escola, brincar com os amigos, fazer esportes e tudo mais, PORÉM COM OS CUIDADOS DEVIDO AO DIABETES. 
    5. EDUCAÇÃO FAMILIAR E DA PRÓPRIA CRIANÇA sobre o diabetes facilitará a aceitação e o bom controle da doença.
    6. Tentem fazer a integração da criança com outras crianças que também têm diabetes, por meio de encontros, associações e acampamentos.

    Em nosso Estado, temos o apoio da ADIP- Associação de Diabeticos do Piauí. Parentes, amigos e simpatizantes são sempre bem-vindos.
    Entre em contato com a equipe da ADIP:Twitter: @adipiaui / Facebook: ADIP

    Email: adipiaui@gmail.com / Telefone: 9452-1016 e 9452-1016

    “DIABÉTICO É QUEM NÃO CONSEGUE SER DOCE”

    (MÁRIO QUINTANA)

 

Tenho Diabetes?! E agora?

Tenho Diabetes?! E agora?

Você não está sozinho. Cerca de um milhão de crianças brasileiras sofrem de diabetes, de acordo com a Associação de Diabetes Juvenil do Brasil. Nos Estados Unidos, aproximadamente 215.000 crianças e adolescentes têm diabetes. Isso significa 1 em cada 500 crianças e adolescentes norte-americanos (2010). Esses números estão crescendo, e se estima que até o ano de 2020, ocorra um aumento de 25% nos casos de DM tipo 1. Devido ao aumento da obesidade infantil, estima-se que o DM tipo 2 aumente até 50% entre crianças e adolescentes.

  • O Que É Diabetes?shutterstock_66507772

    • O DIABETES MELLITUS (DM) é uma doença em que o açúcar fica muito alto no sangue (hiperglicemia). É a segunda doença mais comum na infância, e o número de casos cresce a cada ano.
    • Infelizmente, o DIABETES é uma doença crônica (para toda a vida) e ainda não existe cura.O diabetes pode causar complicações sérias e com risco de morte se não for tratado.  O seu diagnóstico precoce e o tratamento adequado permitirá que você tenha uma vida normal e saudável.
  • O QUE CAUSA O DIABETES?

    O AÇÚCAR é o principal “COMBUSTÍVEL” do nosso corpo, e é utilizado pelas células graças à ação de um hormônio chamado INSULINA. A insulina é produzida pelo PÂNCREAS, um órgão pequenino que fica dentro de nossa barriga, próximo do estômago.shutterstock_115341253 cópia

  • Na falta de insulina, o açúcar não consegue entrar nas células e fica circulando no sangue. O problema é que, em altas doses, ele se torna TÓXICO e fere órgãos importantes do nosso corpo (por exemplo: os olhos, rins e nervos).
  • EXISTEM TIPOS DIFERENTES DE DIABETES?  Sim, existem 2 tipos de Diabetes Mellitus.DM (3)
    • O DM tipo 1 ( Insulino-dependente): quando o pâncreas deixa de produzir a insulina. O DM1 ocorre em 1 em cada 500 a 2000 crianças, e é o tipo de diabetes mais comum em crianças e adolescentes. Neste caso, o tratamento é sempre com insulina (injeções).
    • O DM tipo 2 ( “Diabetes de adulto?”): ocorre principalmente em adultos e obesos. No DM tipo 2 não falta insulina, mas existe uma RESISTÊNCIA a ela, isto é, a INSULINA não consegue transportar o açúcar do sangue para as células do corpo. A gordura contribui para o aumento dessa resistência, e por isso a pessoa gorda tem mais risco de desenvolver o DM tipo 2. Neste caso, o tratamento pode ser iniciado com medicamentos orais (comprimidos), mas pode vir a precisar de insulina também.
    • Outros tipos: existem tipos específicos e raros de diabetes, associados com herança genética (ex. MODY) e que pode acontecer desde o nascimento.
  • PORQUE ESTÁ AUMENTANDO CADA VEZ MAIS O NÚMERO DE CRIANÇAS COM DIABETES? 
    • A incidência (casos novos) de DM tipo 1 varia muito em regiões e países diferentes. Na Finlândia (país no norte da Europa), por exemplo, o número de diabetes tipo1 chega a ser 50 vezes mais alta que no Japão (país da Ásia).
      • Vários fatores ambientais (infeções, viroses, deficiência de Vit D) podem contribuir, mas não existe uma relação direta nem a causa exata desse aumento.
      • Existe um fator genético, que parece contribuir para a capacidade imunológica da criança. O grande marcador de predisposição ao diabetes são os antígenos do sistema HLA (uma espécia de “carteira de identidade imunológica”). Quando você herda um tipo especial de HLA, você pode ter uma predisposição aumentada ao DM1 e, em certos casos, você pode herdar um tipo de proteção e terá, menor probabilidade de desenvolver a doença.
    • Já o DM tipo 2 está aumentando devido ao aumento do erro alimentar e da obesidade infantil, que juntamente com o fator genético, explica o início cada vez mais cedo desse tipo de diabetes.Converse com o seu pediatra e reeduque a alimentação e os bons hábitos de exercício para toda a família.
  • QUAL O TIPO DE DIABETES DA CRIANÇA?  Os dois tipos!

    • Antigamente, criança com DM era quase sinônimo de DM tipo 1. Entretanto, como o aumento da obesidade, está cada vez mais comum crianças e adolescentes com diagnóstico de DM tipo 2, antes considerado DM de adulto. Essa é uma realidade ALARMANTE. Além da OBESIDADE, existem várias outras doenças associadas com o DIABETES (pressão alta, colesterol alto, etc).
  • QUANDO SUSPEITAR DE DIABETES?Sintomas DM

    • O nosso corpo é muito “inteligente” e tenta eliminar o excesso de açúcar no sangue através da urina. Por isso, um dos primeiro sinais de DIABETES é o AUMENTO DE DIURESE (“URINA DOCE”). A criança começa a fazer xixi na cama ou molha as fraldas além do habitual. Como está perdendo muito líquido pela urina. o nosso corpo tenta “compensar” BEBENDO MUITA ÁGUA.
    • Além disso, as células do corpo não conseguem receber a energia necessária na forma de açúcar, pois a insulina não está presente ou não funciona. A criança sente muita FOME e passa a comer muito, no início dos sintomas.
    • Com o tempo, a criança passa a PERDER MUITO PESO (apesar de comer normal) e sofre DESIDRATAÇÃO (perda de água na urina). EM CASOS MAIS AVANÇADOS, a criança pode ficar FRACA, com RESPIRAÇÃO ACELERADA, com HÁLITO CETÔNICO (“ADOCICADO”), podendo evoluir para o COMA, se não for tratada em tempo.
  • O QUE DEVO FAZER SE SUSPEITAR DE DIABETES?

    • Se você tiver essa suspeita, não precisa “provar” a urina da criança. Procure um posto de saúde mais próximo e peça para medir o açúcar da criança (GLICEMIA CAPILAR). shutterstock_6983869Este é um exame simples e rápido que mede o açúcar no sangue, e é feito com uma gotinha de sangue da ponta do dedo.
    • O pediatra do plantão saberá dizer se a criança tem diabetes ou não.  As crianças menores e lactentes devem ser internadas. As crianças maiores podem iniciar tratamento com insulina via ambulatorial e procurar logo o Endocrinologista Pediatra para orientação e tratamento.
  • O DIABETES NA CRIANÇA PODE ATRAPALHAR O SEU CRESCIMENTO? Sim. O tratamento do diabetes depende completamente do CONTROLE que conseguimos. Se o paciente tem uma dieta controlada e prática de atividades físicas diárias, o medicamento (insulina ou medicamento oral) resultará no controle adequado da sua taxa de açúcar. O objetivo do tratamento é deixar a criança com níveis “normais” de glicemia.
    • Quando bem controlado, a criança com diabetes cresce bem e tem uma vida absolutamente saudável. Ele pratica esportes, vai à escola, pode namorar/casar e ter filhos. Ele pode ter uma profissão como qualquer pessoa sem diabetes (médico, advogado, eletricista, empresário, engenheiro, etc).
    • Porém, um diabetes descompensado ao longo de anos pode causar outras doenças, podendo levar a cegueira, insuficiência renal, infecções sérias, dificuldade de cicatrização de feridas, entre tantas outras. Não deixe isso acontecer com você!
  • O INÍCIO DA PUBERDADE PODE ALTERAR A EVOLUÇÃO DO DIABETES?
    SIM. os hormônios da puberdade são antagonistas da insulina (isto é, “agem contra” a insulina) , e isso gera a necessidade de doses maiores de insulina para um bom controle do DM tipo 1.
  • QUE OUTROS PROBLEMAS PODEM ACONTECER NA ADOLESCÊNCIA?
    Um outro aspecto importante são as próprias alterações de vida decorrentes da adolescência, onde o jovem quer ter maior independência, não quer ficar restrito a esquemas convencionais, etc. Daí, o adolescente “rebelde” pode querer “DESAFIAR” a doença e passa a comer “errado” e “esquecer” as doses de insulina, além de não manter o controle das glicemias. INFELIZMENTE, ESSA É UMA LUTA PERDIDA! A DOENÇA “GANHA” SEMPRE, E ISTO SIGNIFICA QUE VOCÊ SAIRÁ PERDENDO SE NÃO SEGUIR AS REGRAS DO JOGO.

Os adolescentes não precisam deixar de fazer o que queiram fazer, mas,
como num jogo, devem seguir algumas regras…

  • COMO ENFRENTAR O PRECONCEITO E A DISCRIMINAÇÃO ENFRENTADO PELAS CRIANÇAS COM DIABETES? O preconceito só existe quando há FALTA DE INFORMAÇÃO.
    • O diabetes é uma doença “exclusiva” de quem a possui, não é contagiosa; e quando bem compreendida, permite à criança ter uma vida absolutamente normal. Isso já melhorou muito, mas ainda pode melhorar cada vez mais.
    • Um coleguinha da escola não precisa se assustar ao saber que seu filho tem diabetes. É importante, dependendo da idade, que os colegas saibam que o paciente é diabético para poder ajudá-lo em algumas situações especiais, como hipoglicemia (o açúcar baixa e a pessoa sente-se mal, devendo ingerir alguma bebida com açúcar), além de não “tentá-lo” com alimentos que ele não deve comer.          

O preconceito muitas vezes está na cabeça do próprio paciente que acha que os outros o VÊEM “DIFERENTE”.

Assim que o paciente aceite sua doença e aprenda a viver com ela, o preconceito deixa de existir.

  • COMO A ESCOLA PODE AJUDAR?A ESCOLA PODE E DEVE AJUDAR, promovendo conversas educativas com um profissional de saúde sobre a doença, pelo menos quando eles têm algum caso na escola.
    • Além disso, A CANTINA de todas as escolas devem oferecer LANCHES SAUDÁVEIS para TODAS AS CRIANÇAS e OPÇÕES  (DIET) PARA OS PORTADORES DE DIABETES.  (http://www.diabetesnasescolas.org.br).
  • COMO OS PAIS DEVEM SE COMPORTAR COM UM FILHO COM DIABETES? É CORRETO TRATÁ-LO DIFERENTE DOS OUTROS IRMÃOS?
    A criança e o adolescente com diabetes devem receber o mesmo tratamento de uma pessoa absolutamente normal. O paciente diabético não deve ter regalias nem punições especiais pelo fato de ser diabético.

    • Trate-o como a pessoa normal que ele (ela) é. Convide os amigos da escola para sua casa. Se houver uma festa, participe normalmente e tome os cuidados com relação aos açúcares de absorção rápida. Os amigos vão aprender como é a rotina do paciente diabético e passam a ajudá-lo a cumpri-la.
    • DIABETES NÃO É CONTAGIOSO! É POSSÍVEL VIVER NORMALMENTE, desde que haja o controle adequado da alimentação e seja feito o tratamento correto preconizado pelo médico.
  • PAIS COM DIABETES, SEJA TIPO 1 OU 2, PODEM TER FILHOS PORTADORES DE DIABETES?
    • Existe um risco maior de Pais com DM 1  terem filhos com DM1, mas não é um risco muito alto.
    • O risco é maior nas pessoas com pais ou familiares próximos (irmãos, avós) portador de DM 2.  A transmissão genética do DM tipo 2 é mais bem conhecida. Por exemplo, entre gêmeos idênticos, a taxa de concordância para DM2 é muito alta, chegando a 80%.  No entanto, esse risco é agravado principalmente pela obesidade e erro alimentar. ISSO SIM É EVITÁVEL !
    • TODOS OS PAIS, especialmente aqueles com história de DM2 na família, DEVEM oferecer ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ATIVIDADE FÍSICA regular PARA OS SEUS FILHOS.
  • EXISTE ALGUMA POSSIBILIDADE DE CURA PARA O DIABETES NO FUTURO? Existem vários estudos, mas ainda não estamos muito perto da cura. A cada dia surgem novos e melhores tratamentos (análogos de insulinas, bomba de insulina, antidiabéticos orais ou injetáveis). A CURA CHEGARÁ COM CERTEZA, é só uma questão de tempo.
    • ENQUANTO A CURA DEFINITIVA NÃO CHEGA, o segredo é garantir UM CONTROLE ADEQUADO E MAIS PRÓXIMO DO NORMAL para os seus níveis de açúcar. SEM ESSE CONTROLE, não seria possível garantir às crianças e adolescentes com diabetes boa qualidade de vida e a certeza de um futuro promissor, com direito à escolha de uma boa PROFISSÃO e APROVEITAR A VIDA como TODO MUNDO.

Para mais informações, veja as próximas seções em DM.